Quarta-feira, 12 de Março de 2008

Os Fundamentos deste Blog

Finalmente, inicio-me na blogosfera...depois de algumas hesitações e de algumas tentativas primitivas e inconsequentes quando os blogs começaram aí com a força toda.

Procuro desenvolver um lugar virtual que ajude a “criar comunidade” , a  “partilhar”, a “disponibilizar”  e “discutir” criticamente o conhecimento sobre educação, em geral, e sobre educação artística, em particular a que incide sobre a dimensão visual da actividade e expressão humana: as artes visuais e todos os artefactos visuais capazes de veicular ideias, atitudes, crenças e comportamentos… sobretudo os que tenham impacto efectivo sobre a vida das pessoas, consideradas num amplo arco social.

A wikipedia a a Encyclopedia of Life são bons exemplos em como se pode construir conhecimento, partilhando-o generosamente com a comunidade, à escala global.

Esta atitude, é bom que se diga, é contra uma certa tendência contemporânea de enquadrar tudo o que sucede e aparece numa sociedade, dentro de uma lógica comercial e economicista, em que tudo é transformado em mercadoria: as pessoas, as suas ideias, os seus bens. …Muito bem, o seu a seu dono.

Mas como docente de uma universidade pública, em que o dono somos todos nós, assisto, com preocupação, ao seu estertor, e estou absolutamente convicto de que muitas das 100 mil pessoas - ficarão para a história das movimentações sociais em Portugal - que no último 8 de Março entupiram  autenticamente a baixa lisboeta, animaram-se mais por profundas convicções filosóficas, e pelo modelo social que ainda julgam fazer sentido, do que pelas questões mais técnicas (avaliação docente, estatuto da carreira docente etc.) que supostamente teriam motivado a manifestação.

O saudoso professor Agostinho da Silva disse um dia que “todos nascemos gratuitamente, por isso não teríamos que pagar a vida, não deveríamos pagar o ensino”. Quem nos dirige, ou melhor, quem nós elegemos para nos dirigir nesta democracia cada vez mais enquistada, parece não pensar assim.

Por isso, encontrar uma saída não é fácil, mas existem muitas alternativas fora dos aeropagos políticos tradicionais. A participação de cidadania que assiste a cada um de nós, que agora pode utilizar a Web 2.0 ou social Web (dentro da qual se inclui a blogosfera. Estarei correcto?) para fazer ouvir a sua voz, apresentar a sua ideia, a tal solução criativa de que mais ninguém se lembrou. Por isso deposito muitas esperanças neste meio, ainda (!?) autenticamente democrático…até agora. Aproveitemo-lo, portanto. Começou a aventura…ela terá a qualidade proporcional à boa vontade daqueles que quiserem contribuir.

 


publicado por ensinartes às 14:27
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 3 seguidores

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Tupperware, tamanho XS

. Le tunisien

. Uma questão de força

. FMI ou FIM

. A Pedra

. A participante 43212

. Contas de sumir

. Yo, Mário Sepúlveda

. O nosso Haiti

. Travassos

.arquivos

. Maio 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Outubro 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Yo, Mário Sepúlveda

.Ligações/links

.Contador de visitas

SAPO Blogs

.subscrever feeds