Segunda-feira, 14 de Abril de 2008

Made in RDA

Por vezes temos que passar por algumas experiências para poder dar mais sentido e valor às novas. Nos meados dos anos oitenta comprei, a prestações (!) uma máquina de escrever “Made in RDA” de cor azul cinza, num estojo preto, anti-choque. Este foi então um extraordinário património para um rapaz da aldeia, que se cultivou numa carrinha Citroen, de chapa ondulada que vinha cheia de livros, de tempos a tempos, ao centro da terreola “trazer o mundo”. Na chapa lateral “Fundação Gulbenkian Biblioteca Itinerante”. E lá dentro, um cheiro quente a livros que não mais esquecerei.

Enquanto os meus companheiros iam deixando a escola e oleando e limpando com desvelo as famosas Famel Zundapp XF17 Super, compradas a setenta e cinco contos (!) com as primeiras sofridas economias do trabalho, na construção civil, eu ia oleando, com igual devoção, a minha máquina de escrever.

Pouco tempo depois, num viagem épica a Andorra que, juntamente com a norte- africana Ceuta, constituíam as cidades santas das compras, “a um terço do preço”, da minha juventude, completei o meu património “Made in RDA” com uma máquina fotográfica  Praktica Reflex MTLB5. Julgo, sem grande erro de me enganar, que milhões de fotógrafos se devem ter formado neste aparelho, com o qual tirei as minhas melhores fotografias até hoje.

Para os meus visitantes mais jovens, menos conhecedores da geopolítica europeia que marcou a geração que já vai nos quarenta, a RDA é o acrónimo de República Democrática da Alemanha, na altura em que uma cortina, que alguns diziam ser de ferro, separava os países comunistas da Europa livre.

Era um país que aberbatava a maioria das medalhas em competições desportivas, sabendo-se hoje a razão porque as suas atletas tinham “voz de homem”. É que na RDA proliferavam os mais importantes laboratórios de substâncias dopantes.

Bom, voltando à inspiração deste texto, a facilidade com que agora nos metemos no meio de um texto (sem o arreliador corrector branco), o deixamos a “adormecer”, para logo depois voltar a ele…é uma capacidade extraordinária que só quem dactilografou mecanicamente sabe dar valor.

Delas só tenho saudade do tap tap, e do rrrrt da mudança de linha. Dava-me um certo estilo de personagem policial, a escrever os relatório das detenções, momento complementar à fúria do gatilho, das séries televisivas “Serpico” e “Bareta” da nossa única televisão. Enfim, para além da revificação das memórias pessoais, senti mesmo o suplemento de alma de que necessitava.

  A propósito, troco uma tela minha de dimensões razoáveis de 80 x 60 cm (sobre esta temática) por uma máquina de escrever Remington mesmo em mau estado. Ficava-me bem em cima do aparador.


publicado por ensinartes às 01:55
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Baudolino a 20 de Abril de 2008 às 15:32
E nada melhor que o filme 'Good Bye Lenine' para ficarmos com um cheirinho dessa RDA/RFA, dessas duas faces da moeda e de como se viveu o momento. Digo um cheiro porque o que se vive não será nunca captável na totalidade por qualquer forma de arte. Felizmente. A arte será a capacidade para nos dar a realidade reinterpretada pelo subjectivo, com filtros poderosos, virtuosos, nas fronteiras do real e do não-real. Continue e, se quiser faça lá uma visita ao meu cantito onde vou debitando uns lugares comuns feitos de letras.
Um abraço e gostei de descobrir este blog. Fiquei curioso ao ouvi-lo falar dele!

Ah! E desejo-lhe que mantenha o almejado número de visitas à página. Eu não faço questão de números mas aguardo a sua visita!


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 3 seguidores

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Tupperware, tamanho XS

. Le tunisien

. Uma questão de força

. FMI ou FIM

. A Pedra

. A participante 43212

. Contas de sumir

. Yo, Mário Sepúlveda

. O nosso Haiti

. Travassos

.arquivos

. Maio 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Outubro 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Yo, Mário Sepúlveda

.Ligações/links

.Contador de visitas

SAPO Blogs

.subscrever feeds